Nov 25, 2014

O Natal do capuchinho vermelho

O capuchinho vermelho acordou num dia frio de inverno, véspera do dia de Natal. Todos os dias ia visitar a sua avó e levava-lhe comida. A avó neste Natal ,não passava com a família e logo não estava com a sua neta. As famílias não se davam bem desde o falecimento do avô nesse ano e a avó preferiu ficar, sozinha, na sua casa na floresta. As partilhas da herança afastaram as pessoas. Contudo, o capuchinho fez questão de a ir visitar, fazendo ela própria as bolachas de natal.
Vestiu o seu casaco vermelho e lá foi. Estava muito vento e frio mas não desistiu.
Quando chegou à porta de sua avó viu que a sua casa estava coberta de neve mas não tinha nada a indicar que era Natal.
-Avó, não colocaste decorações de Natal este ano?
-Não me apetece, minha querida!
-Gostava de estar contigo esta noite!
-Não fiques triste!
-Costumavas sempre chamar-me para ver o pinheiro do jardim que tu e o avô decoravam.
-Sim! Mas uma árvore deve ser decorada com amor e partilha e este ano não tenho ninguém. Melhores anos virão.
-Está bem! Fiz-te as bolachas de castanha que tanto gostas!
-Obrigada. Vou guarda-las para depois da ceia. Agora vai-te embora que está a ficar muito frio e os teus pais vão ficar preocupados.
O capuchinho vermelho vestiu novamente o seu casaco e saiu.
Já cá fora, o vento soprava fortemente. Estava muito triste e as lágrimas começaram a cair pelos seus olhos aquecendo a sua face. Virou-se para trás e reparou que o pinheiro que seus avós costumavam decorar ainda lá estava, cheio de neve. Retirou o seu casaco vermelho e colocou-o em cima da árvore.
Só que estava muito mas muito frio e seu corpo foi cedendo ao gelo e caiu no chão perto do pinheiro.
Seus pais estavam preocupados e resolveram ir à sua procura. Quando chegaram a casa da avó encontram-na caída no chão.
-Minha filha, que fazes aqui sem casaco?
Ela tremia de frio mas ainda conseguiu falar:
-Partilho a decoração da árvore de Natal com a avó!
Os olhos de seus pais encheram-se de lágrimas.
O barulho fez a avó sair de casa e encontrou a sua família a volta de um pinheiro decorado com um casaco vermelho cor de sangue.
-O que se passa?
-Avó! Gostas da nossa árvore?- Perguntou o capuchinho.
-Entrem em casa e venham aquecer-se por favor.

Entretanto caiu um nevão que os obrigou a ficarem juntos naquela noite. Não houve prendas, não houve jantar avantajado mas apenas uma sopa e as bolachas de castanhas do capuchinho. Aqueles momentos fizeram recordar a todos que, há coisas mais importantes que os bens e herança que os fizeram separar. Tiveram o mais rico e feliz Natal de sempre.

2 comments:

Cristinix said...

ADOREI! Tão giro o conto! e deu-me vontade de fazer bolachas de castanhas :)
Bom resto de semana.

Diário de um Anjo said...

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Bom resto de semana