Nov 5, 2013

A noite é até onde eu quiser...

Atiro o chinelo para o chão,
Pijama ao ar,
Corro pelo varão,
Embalo-me a dançar.

Jogo o chapéu à testa,
Visto a t-shirt da treta,
Pego na minha vespa,
Parto à procura da festa.

Não quero saber onde vou,
Não penso sequer o que esta a dar,
Estou bem aonde estou,
Seja onde for esse estar.

Voltarei quando for,
De noite ou ao amanhecer,
Chegarei sem dor,
Porque vivo o que me apetecer.

Sou fruto da idade,
Frescura da juventude,
Vivo sem herdade,

No momento e desprovido de amiúde.

No comments: