Jan 4, 2013

O jardim da inocência


O cinismo encontrou a sua vizinha, a inocência a varrer as folhas secas de um jardim e afirmou:
-Que jardim fantástico! Está tudo tão limpinho. Tens tanto jeito. Quem me dera! Eu sou um desastrado e além disso não tenho tempo nenhum para fazer isso. O meu quintal está uma lástima.
A inocência sempre disposta ajudar quem precisa e orgulhosa pelos elogios:
- Se quiseres eu depois varro o teu!
-Oh, não é preciso! Já me habituei aos restos das folhas.
-A sério! Não me custa nada!
O cinismo muito contente, aproveitou logo:
-Obrigado, muito obrigado! Tenho a certeza que vai ficar impecável.
A inocência lá foi ao final da tarde, limpou, podou e arranjou o jardim do cinismo, deixando-o todo arranjadinho.
-Está lindo! Fico muito agradecido. Fica mesmo a calhar porque esta noite vou receber convidados.
A noite estava a chegar e estava tudo pronto para receber as pessoas. O cinismo estava preparadíssimo.
O oportunista, o seu chefe, foi o primeiro a chegar e ao ver o jardim arrumado:
-Isto está o máximo! Foste tu?
-Claro, eu passei a tarde toda a varrer e a podar. É um hobbie, adoro!
-Muito bom, o trabalho!
Durante o jantar, já todos na mesa o oportunista resolveu aproveitar a deixa:
-Meus caros, não sei se tiveram a oportunidade de ver o jardim do nosso colega. Está espetacular. Fiquei tão impressionado que não poderia de deixar de convida-lo a ter a honra de manter os jardins da empresa.
O cinismo corou e ficou aflito mas não teve saída senão aceitar, fingindo um sorriso.
No dia seguinte, logo de manhazinha bateu a porta da inocência.
- Olá vizinha! Não imaginas o sucesso que o meu jardim fez ontem a noite. Aliás o meu chefe fez tantos elogios que gostaria imenso de ter o da empresa no mesmo estado.
-A sério?
-Sim, ele adorou. Era uma oportunidade para ti. É uma empresa boa!
-Então quando ele quer falar comigo?
-Ah, isso! Ele é uma pessoa muito atarefada e deixou isso a meu cargo.
-E quando me pagam?
-No final do mês é claro!
A inocência nem se lembrou de contratos nem nada e correu logo a buscar as ferramentas.
-Quando começo?
-Hoje mesmo!
-Então vamos!
-Não espera! Ele prefere que vás a noite para não incomodar os clientes que visitam a empresa.
-Está bem.
A inocência trabalhou a noite inteira e deixou o jardim extremamente belo.
No dia seguinte, o oportunista fez imensos elogios pela empresa e o cinismo ficou nas nuvens.
A inocência passou o dia a descansar a tentar recuperar o sono perdido.
Ao final do dia, voltou ao jardim. Contudo, nessa noite o chefe ficou até mais tarde. Ao vê-lo passar inocência aproximou-se e disse:
-Muito obrigado pelo emprego!
A oportunidade espantada:
-Que emprego?
-Eu gosto muito de jardins e este é enorme!
-Ah, então é você que arranja o jardim?
-Sim.
No dia seguinte, o oportunista levou para o trabalho um canteiro enorme de flores e colocou perto do local de trabalho do cinismo com um post-it:
-Uma prenda pela dedicação. Hoje não trabalhas! Quero que te dediques apenas ao teu hobbie.
O cinismo não se conseguiu safar e nunca mais ninguém confiou nas suas palavras.

2 comments:

Paula Nogueira Guerra said...

Bem apanhado :D

Obrigada pela história linda!!!!

Bom fim de semana xxxx

Diário de um Anjo said...

De nada Paula, é só mais um dos meus desvarios:)