Jun 28, 2012

És mesmo burro, pá!

Um cão estava deitado num jardim, junto a um lago, à sombra de uma árvore, para se proteger do calor. Ali perto, andava um gato que assim que viu o canídeo subiu para os ramos da árvore, com receio.
O cão estava meio tonto com as elevadas temperaturas e deixou-se dormir.
A tarde passou e quando estava mais fresco levantou-se. Quando ficou de pé, reparou na sombra da sua cauda. Algo se passou pela sua cabeça e começou a andar as voltas sobre si mesmo.
O gato em cima dos ramos, enquanto lambia as suas patas, observava a situação.
O cão só parou quando já estava demasiado cansado, voltando a deitar-se, só que desta vez de barriga para cima.
Quando olhou para os ramos da árvore reparou no gato mas não lhe deu muita importância. Já era velho e os gatos já não lhe despertavam instintos de perseguição.
O gato contudo, achou aquela reação tão absurda que não resistiu em perguntar:
-Oh cão! Posso fazer-te uma pergunta?
-Olá! Claro que podes!
-Porque é que vocês, cães perseguem a vossa própria cauda?
-Hum, qual cauda?
-Não sabes o que é uma cauda?
-Não!
-Está explicado! Vocês são tão burros que nem se apercebem do vosso próprio corpo.
O cachorro, com a sabedoria da idade:
-Sabes o que é o teu reflexo?
O gato, curioso por natureza e muito orgulhoso.
-Claro que sei!
-Sabes! Então mostra-me!
O gato já encaracolava os bigodes de nervoso. Não sabia o que era nem como mostrar.
-Claro todos sabemos! – Tentou o gato arranjar tempo.
-Sim, mas mostra-me o teu! Desce cá baixo para eu ver melhor!
O gato pensou para consigo que se descesse e se o cão visse o tal de reflexo se safava e até aprendia o que era sem mostrar desconhecimento.
Desceu dos ramos da árvore sem pensar.
Assim que chegou ao pé do cão:
-Vem comigo até ao muro do lago para eu ver.
O gato achou estranho mas continou a não querer ceder e assim fez.
Ao chegar ao muro:
-Agora olha lá para baixo.
O gato olhou e reparou que na água estava outro felino.
-Que linda! – Referiu o gato, pensando que na água estava uma gata.
Começou a tentar a acariciar a imagem.
O cão, já muito vivido. Quando o gato se inclinou para tocar no reflexo ladrou.
O felino assustou-se, deu um salto e caiu à água. O lago não era nada fundo mas serviu para ele se molhar. Assim que sentiu o pelo húmido saltou logo cá para fora, novamente para cima do muro. Olhou de novo para água, que agora estava muito turva e disse:
-Puxa cão! Tu és mesmo burro! Além de não saberes que tens cauda assustas as fêmeas assim que as vês!

1 comment:

Paula Nogueira Guerra said...

Vai-se lá saber quem é o burro aqui :)

BOM FIM DE SEMANA XXXX