Dec 19, 2011

A Bota verdadeiramente de Natal

Aquela tarde era longa e nervosa. A agitação na pequena casa do Pai Natal era enorme. Todos corriam de um lado para o outro com os últimos preparativos. Havia sempre prendas de última hora. A colocação dos brinquedos no trenó começava muito cedo e todos os duendes eram precisos.
Antes de partir, o Pai Natal deixava uma das suas botas, junto à lareira, a que todos chamavam Bota Natalícia. Sim, porque o velhote de barbas brancas também recebia prendas no Natal.
Os seus desejos eram sempre conhecidos por todos, principalmente pela Fada dos Desejos à qual nada escapava.
À Mãe Natal cabia satisfazer o desejo de seu marido e sempre que não sabia o que oferecer visitava a Fada.
Este era um desses anos. Após o almoço do dia 24, esperou que todos saíssem de casa para junto do trenó e foi à sala. Junto à árvore de Natal estava uma pequena bola de neve com uma casa de árvore muito pequena lá dentro. Pegou na bola, olhou em volta para ver se não havia ninguém e agitou-a. Depois com muito cuidado pousou-a no lugar e ficou à espera
Lá dentro a neve, começou a cair na casa da árvore. Passados uns momentos, saíram raios de luz das frestas da janela e esta abriu-se.
Uma menina pequenina, com um vestido de vermelho e umas asas transparentes saiu, espreguiçou-se e sentou-se em cima do galho por baixo do parapeito.
-Olá Mãe! Já é Natal?
-Sim, Fada! É mesmo! Não sabias?
-Não! O teu marido costuma todos os anos consultar-me para ver se sei o que algumas crianças desejam mas este ano ainda não veio.
-A sério? Deve ter recebidos muitas cartas, então!
-Se calhar!
-Não és tu que ouves os desejos que as crianças e os adultos fazem ao longo do ano?
-Sim sou.
-A sério? Como é que ele soube então o que dar a todos? Nunca aconteceu!
-Não sei, mas a que devo a tua visita, Mãe?
-Olha! Eu ao contrário do Pai com as crianças, não sei o que devo dar-lhe este Natal. A Bota Natalícia já lá está! Ele não desejou nada?
-Não!
-Não! Meu Deus! A sério?
-Não ouvi nada, Mãe!
-Ele todos os anos deseja alguma coisa! Geralmente até são bolachas ou bolos! No ano passado tive que descobrir a receita dos pastéis de nata portugueses que ele viu numa casa de um menino, no ano anterior, e pedir aos duendes pasteleiros para me ajudarem.
-Eu sei mas este ano ele não pediu nada!
-O que faço Fada? Diz-me?
-Não sei mas conheço quem te poderá ajudar.
-Quem?
-A Fada da Estrela!
-Ah! Nunca ouvi falar!
-Pois não. Só as fadas conhecem e só recorremos a ela quando é uma questão que nós não conseguimos resolver.
-E como eu falo com ela?
-Vai buscar um escadote e coloca-o junto à árvore. Quando estiveres perto da Estrela, sopra para cima dela e verás.
-Não te esqueças!
-Do quê?
-Assim que soprares desce logo e aguarda!
A Mãe Natal assim fez. Soprou e aguardou junto à base da árvore.
De repente, o topo da árvore brilhou e detrás da Estrela saiu a mais bela Fada que alguma vez viu. Tinha cabelos louros e um vestido prateado.
-Olá Mãe Natal!
-Olá Fada da Estrela! Desculpe incomodá-la!
-Não faz mal! Eu sei porque vieste!
-Ai sim? Podes ajudar-me então?
-Posso!
-O que devo dar ao meu marido? O que ele deseja? Este ano não pediu bolachas nem bolos como costuma!
-Pois não, eu sei!
-Porquê?
-Mãe, tu viste o que o teu marido deu a algumas crianças este ano?
-Não, eu não me meto. Só ajudo quando ele pede. A Fada dos Desejos disse que ele este ano não precisou dela.
-Não precisou porque o Pai Natal deu os seus doces às crianças que tinham fome e que nunca comiam guloseimas!
-O quê?
-Sim, este ano há muita crise e há crianças que não tiveram tempo para pedir desejos de brinquedos e bonecos porque sempre que à noite se ajoelhavam para apelar ao Pai Natal adormeciam com fome.
A Mãe Natal, que já não cozinhava à séculos, correu para a cozinha, arregaçou as mangas e fez a maior quantidade de bolachas que conseguiu. Embrulhou-as com muito cuidado e colocou-as na Bota Natalícia.






2 comments:

Phil said...

Gostei muito :)

Diário de um Anjo said...

Obrigado Phil. É o espirito natalicio