Sep 7, 2011

Terra fresca

Deitada ao vento,
Imagino o teu perfume.
Aguardo o relento.

As sombras tremem,
Observo o luar recortado pela noite.

Ouço os grilos cantar,
Chamam-te pelo meu silêncio.

Toco a terra fresca,
Pelos veios de erva.

Por vezes, fecho os olhos,
Tento, te ver,
Sonho, te ouvir,
Deliro, te ter.

Vem, leva-me com a brisa,
Faz-me voar nos teus ramos,
Arrepiar nas tuas folhas,
Embebedar no teu cheiro.

Quero ser, qual cogumelo na tua raiz,
Agarrado ao teu tronco,
Alimentando-me da tua seiva,
Partilhando contigo as estações da vida.

2 comments:

Phil said...

É tão bom ter alguém que achamos ser a pessoa com quem vamos viver o resto da vida :)

Diário de um Anjo said...

Se não acharmos isso não vale a pena tentar sequer