Jul 27, 2011

Existe sempre um veludo para cada espinho

O Amor Prefeito e o Malmequer resolveram ir ao programa da Tulipa Pinheiro, que visava resolver os problemas sentimentais do público, aumentando as audiências através do seu coração.
-Sr. Malmequer o que o traz por cá? – Questionava Tulipa Pinheiro.
-Ohh! Dona Tulipa! A minha vida é um Inferno lá em casa! A minha esposa dá-me cabo da cabeça. São discussões de manhã à noite pelo que não fiz e deveria ter feito, pelo que fiz mas mal ou então pelo que deveria ter pensado em fazer e nem reparei.
-A sua esposa é um bocado exigente consigo! Isso é de facto um problema! E você Sr. Amor prefeito? O que o fez vir ao nosso programa?
-Olhe Senhora Pinheiro! A minha vida conjugal é prefeita! A minha esposa é a mulher ideal. Faz-me tudo, não reclama nem exige. Anda sempre bem composta e bem-disposta!
-Então, se tudo é assim tão bom o que o apoquenta?
-O tédio, Senhora Tulipa! Não há nenhum desafio, nem uma discussão para depois ter o prazer de fazer as pazes.
-Humm, é estranho! Entretanto, tenho aqui ao telefone uma ouvinte! Como se chama?
-Boa tarde! Chamo-me Rosa!
-Seja bem-vinda Rosa! O que tem para nos dizer?
-Eu sou feliz!
-A sério? Conte lá o seu segredo!
-Não há segredo nenhum! Sou eu própria e respeito o meu companheiro. Não sou prefeita e de vez em quando aguço-o com os meus espinhos no entanto, sei depois acaricia-lo com o veludo das minhas pétalas.
-Humm, e o que recomenda aos nossos amigos?
-Que falem com as suas caras-metades, mostrem as diferenças e descubram aquilo que podem dar um ao outro para as compensar!

1 comment:

...Ju... said...

o pior é quando não querem procurar ou ouvir o veludo atrás dos espinhos!