Jun 3, 2011

Salto de cor

imagem: net
Toin, toin, toin!
Fazia a bola saltitona, pela casa fora. Do chão para o tecto, do tapete para, debaixo da base da mesa da sala. Corria todas as divisões.
Mariana divertia-se imenso com aquela bola cheia de cor. Atirava-a com todas as suas forças e ficava de olhos esbugalhados, muito atenta, a ver aonde ela ia parar.
-Cuidado que partes as coisas! – Dizia sua mãe.
Naqueles dias de chuva, não se podia ir para a rua. Ver a bola saltar era uma das suas brincadeiras preferidas.
Um dia, perdeu a bola. Procurou, procurou e não a achou em lado nenhum. Pediu ajuda à sua mãe e não encontraram.
Ficou muito triste. Nessa tarde, dormitava a sesta quando ouviu:
Toin, toin, toin!
Acordou estremunhada e levantou-se. Ao seu lado, a bola saltitona pulava sozinha:
-Olá! Olá! Olá!
Mariana sorriu.
-Olá bolinha! Tu falas?
-Sim! Sim! – Repetia, cada vez que vinha a cima.
E continuou: toin, toin, toin.
-Não paras de saltar? Não ficas cansada?
-Azul, verde, vermelho…
-Porque dizes as cores?
-Amarelo, branco e laranja! Sempre que vou ao chão, uma cor tenho que tocar.
- Ohh, porquê?
-Quando o meu pai me criou, na sua oficina, desejou que eu tivesse todas as cores do arco-íris para dar à sua filha. Juntou as todas numa máquina. Assim que, carregou no botão, a luz apagou-se e a máquina avariou, explodindo. Com o impacto o meu pai caiu e desmaiou.
Ao acordar viu um pássaro muito colorido. Nunca tinha visto tanta cor. Só que o pássaro parecia magoado numa asa.
-Queres juntar as cores todas do arco-íris? – Perguntou o pássaro.
-Sim. – Respondeu.
-Eu ajudo-te, mas para isso preciso que faças um favor. Estou muito ferido e já não tenho forças para continuar. Sou um pássaro de fogo, mágico. Vivo a voar pelo mundo a desenhar arco-íris no céu. Só que, um caçador atingiu-me e estou muito doente.
-O que precisas? Um veterinário?
-Não, não vale a pena! Preciso que cries uma bola que salte. Salte muito alto! Cada vez que a bola salta, atinja o Céu.
O meu pai assim fez. Correu para a máquina, restauro-a e criou-me: uma bola muito elástica e saltitona. O pássaro sobrevoo-me e tocou-me com o bico dando-me cor.
- Sempre que esta bola cair no chão, toca com uma cor e leva a outra ao Céu, pintando um arco-íris
-Mariana, Mariana, acorda! Está na hora do lanche!
Acordou, quando passou pela janela em direcção à cozinha, o céu tinha um arco de cor.

1 comment:

PA said...

Acho que é uma das melhores histórias que já escreveste. ;)