May 14, 2011

O Rosabolas

imagem: net



O Rosabolas, era um porquinho ainda pequenino, muito protegido pelos pais. Sempre que, via alguém estranho na pocilga fugia para debaixo da barriga da mãe.
Vivia agarrado ao Colha-Colha, um ursinho, já velho e muito sujo. Adorava aquele peluche. Jamais o largava por motivo nenhum.
A super-protecção dos pais, tornou-o num leitãozinho muito medroso. Antes de fazer alguma coisa perguntava sempre aos pais se o podia fazer:
-Mãe, posso comer? – Perguntava sempre que a comida era colocada pelo agricultor.
-Podes, Rosabolas! Não precisas de perguntar se podes comer!
Não valia a pena. Ele perguntava sempre.
Um dia, o agricultor resolveu limpar a pocilga e retirou todos os porcos grandes cá para fora, excepto o nosso pequeno Rosabolas. Não era preciso, porque era muito pequenino.
O leitãozinho, nunca tinha estado sem sua mãe:
-Rosabolas, temos que ir lá para fora! Fica aqui ao pé da comida e não saias daqui!
-Mãe, tenho medo de ficar sozinho!
-Não tenhas. O agricultor vai só limpar a nossa casa!
Agarrou-se ao Colha-Colha com muita força e ficou junto à comida. Passados alguns minutos, já mais relaxado, resolveu fingir que o Colha-Colha andava em cima da manjedoura, como se um cavaleiro se trata-se, prestes a atacar o castelo do Rei malvado. Fazia isso muitas vezes. Simulava e imaginava grandes aventuras.
De repente, o barulho da foice do agricultor, quando bateu no fundo da pocilga, assustou-o e o Colha-Colha caiu para detrás da manjedoura. Ficou horrorizado. Não sabia o que fazer, não tinha sua mãe para o ir buscar. Receava que o Colha-Colha fosse apanhado e levado junto dos restos de comida, durante a limpeza.
Olhou para o seu amigo, largado do lado de lá da manjedoura, com os olhos molhados de lágrimas, respirou fundo e disse para si mesmo:
-Se o Cavaleiro teve coragem para atacar o castelo do Rei Malvado e precisa de ajuda para o fazer, eu vou!
Subiu para o topo da manjedoura. Saltou para o outro lado e salvou o seu amigo!

Temos sempre mais coragem do que imaginamos ter!

2 comments:

Eva Gonçalves said...

As tuas fábulas, são sempre fabulosas! :) Será que temos SEMPRE mais coragem do que pensamos??? I wonder.... :)) Beijo

Phil said...

Sem duvidas, Às vezes só nas situações de aflião reconhecemos as nossas verdadeiras capacidades ;)