May 13, 2011

O Gotinha

Imagem: net


O Gotinha vivia muito feliz no manto fofo e branco de sua mãe, a nuvem Elefanta. Chamavam-na assim porque ela tinha mesmo a forma de um elefante branco. Foi a Águia, sua amiga que a baptizou.
A nuvem viajou dias e dias pelos Oceanos e estava a mudar de cor. Ficando cada vez mais escura. Gotinha estava muito feliz. Tinha cada vez mais irmãos para brincar. Contudo, um dia, a mãe Elefanta:
- Filhos, estou muito cansada e vocês vão ter que fazer uma grande viagem até à Terra. Olhem todos para baixo, com muito cuidado!
Assim o fizeram e o Gotinha, mais espevitado:
-É tão longe! Tenho medo da descida e de tudo o que possa acontecer lá em baixo! Vamos todos juntos? Vou ficar sozinho?
-Gotinha! Não vão descer todos juntos mas, não fiquem tristes porque vocês vão ter um papel muito importante!
-Qual é? – Exclamou.
- Vão dar de beber a todos os seres vivos da Terra. São vocês que vão permitir que continuem a viver.
A amiga Águia, que sobrevoava o céu, nesse momento, aproximou-se:
-Desculpa interromper a reunião familiar! Alguns de vocês vão cair ali naquele prado e dar de beber às plantas que, sem vocês morreriam.
Todas as gotinhas de água ficaram muito orgulhosas por saberem a importância da sua viagem.
-Mãe e tu, o que te vai acontecer? – Perguntou uma pequena gota, a mais jovem.
-Não se preocupem comigo! Eu vou continuar a minha viagem! Mais tarde, vocês vão escorrer através de rios e riachos até ao Oceano e eu vou vos buscar. A vossa viagem será um: Até já.
A Elefanta não quis contar a história toda. De facto, algumas das gotinhas iriam ser bebidas pelos seres vivos, outras poluídas e não chegariam ao mar.
-Vamos, meninos! Chegou a hora!
As gotas largaram os braços da mãe, deixaram-se cair e começou a chover.


Os filhos mais tarde ou mais cedo largam os pais. O caminho é longo e poderá meter medo, contudo, não adianta pensar no que poderá não correr bem nem derramar lágrimas. A vida é como o ciclo da água. Todos, um dia, seremos uma Nuvem, com forma de Elefanta, de um Urso ou até sem forma definida e deixaremos, também, as nossas Gotinhas partir.

1 comment:

Olívia Palito said...

Quando venho aqui comentar, fico sempre num dilema. Primeiro porque a primeira coisa que penso é: "meu Deus, esta menina devia escrever um livro".
E o outro pensamento que me ocorre é: "se isto que fazes, não é escrever bem, então não sei o que é a escrita."
:)

Beijo grande*