May 25, 2011

Espo e Lhelas, uma vida de sobe e desce

imagem: net


Esta é a história da nossa vida. Somos um casal de espelhos dos elevadores de um prédio em Lisboa. Eu estou colocado em cima e a minha mulher na parte de baixo de uma das paredes do ascensor. O nosso trabalho é dar reflexo, há mais de 20 anos, aos residentes.
Chamo-me Espo e a minha mulher Lhelas. Trabalhamos muito mas é extremamente interessante.
-Espo, pára lá com isso! Tens tempo para escrever as nossas memórias à noite! Vem lá o vizinho do segundo direito, o esgrouviado!
Subiram até ao segundo piso e lá estava o Tóni. Grande personagem. Faz sempre a viagem toda a compor o cabelinho cheio de gel e a ajeitar o bigode. De vez em quando, também palita os dentes com a unha do dedo mindinho. É um autêntico galã. Vive a fazer-se à Vanessa, a estudante universitária do terceiro esquerdo.
-Olha que bela gravata! Branca às bolas vermelhas, acompanhada de camisa encarnada. Tudo isto com um fato branco e ténis All Stars, também branco mas com uma ligeira risquinha vermelha. Se a Dra. Tita do primeiro direito o visse, tinha uma quebra de tensão - Comentava a Lhelhas
A minha mulher, é de facto, muito apreciadora da vestimenta dos vizinhos. Eu gosto mais de ouvir as conversas, principalmente sobre futebol e o tempo. Já que não saio daqui mantenho actualizado. Agora, às vezes, falam de política. Sinceramente, deve ser um desporto novo, ainda não muito praticado no país.
-Chamada ao terceiro. Estou ansiosa por saber a vestimenta da Vanessa.
-Lá estás, tu a falar novamente! As mulheres falam pelos cotovelos! Quebras-me o raciocínio!
Chegados ao último piso do prédio, entra a Vanessa. Saiinha curta , de cabedal, top com padrão de manchas á tigre e salto bem alto.
-Os elevadores na Universidade devem ser muito quentes. Esta estudante anda sempre com pouca roupa!
-Nada disso! Ela é “Fashion” e “Boa”! Nunca ouviste o Tóni? –comentou Espo.
-Olha também vem o policia! Sempre carrancudo e muito direito! Será que é hoje que ele sorri?
-Não! Achas? Ele desvia um olho para nós e um para as pernas da Vanessa!
O elevador desceu e parou novamente no segundo piso.
-Fogo! Odeio esta hora! Saem todos. Lá vai a Dona Maria às compras! Gostava de saber se ela tem outro avental além daquele que usa sempre!
-Outra paragem no primeiro! Nem sei se aguentamos! Olha a Dra. Tita, com o seu cãozinho ao colo!
-Ui, espero que o cão se aguente! Ai, está nervoso e assustado novamente com o policia! Será que ele vai…ai, saltou do colo! Caiu no colo da Vanessa! Escorregou! Ai…as meias Vanessa, as meias!
Vanessa, ficou com o top e as meias rasgadas! A Dra.Tita histérica, aos pulos a gritar. Fofo, Fofo, pára!
-Você, é um mal-encarado! Deixou o meu Fofo nervoso – Afirmou Dra. Tita ao policia!
-Ai, credo! Pelo amor de noxa xenhora de Fátima, menina Vanessa! Vista a minha bata! Não fique aqui nexes propósitos! – tentou a Dona Maria ajudar a moça, que quase despida e muito corada.
-Bolas, o Tóni havia de gostar de ver a Vanessinha! – referiu Espo.
O elevador parou e todos saíram do R/C, muito agitados.
É assim, a nossa vida neste prédio.

1 comment:

Eva Gonçalves said...

Que ideia gira essa dos espelhos do elevador, :) Muito original, gostei claro. Esse casal, não pode olhar na mesma direcção, mas apenas um para o outro... será que vão aguentar tal falta de visão ?? :)) Beijinhos