Apr 27, 2011

Ticha, a lagartixa preguiça

imagem: net

Ticha, a lagartixa preguiça, vivia para apanhar Sol. Vaidosa e convencida quanto mais calor apanhava, mais queria.
A comida não era problema porque a sua camuflagem resultava muito bem, no muro aonde habitava. Os insectos nem reparavam na sua existência.
A casa anexa ao muro era despovoada de humanos. Os seus antigos donos já haviam falecido há muito tempo e os seus descendentes, actuais proprietários, moravam noutras paragens, algures no estrangeiro. A bicharada tomava conta das instalações.
Ticha tinha, assim muita comida e a sua única preocupação era o estado do tempo.
A vida corria e um dia, uma borboleta atarefada pousou junto a si e, quando Ticha se preparava para a comer, ouviu:
- Não me comas, por favor, tenho muito pouco tempo de vida!
-Porquê? Quanto?
- Duas semanas. Queria aproveitar o máximo e conhecer outros lugares. Sabes, já pousei em todos os quintais desta aldeia e queria conhecer outros que me falaram que existiam, mais distantes.
-Bolas, o meu pai viveu oito anos, a minha mãe sete e nunca saíram daqui. Não sabia que existiam outras coisas lá fora.
-Existem e muitas. E não são só casas, existem plantas do meu tamanho e outras maiores que esta casa.
-A sério? Levas-me contigo?
E assim partiram numa viagem, recheada de muitas aventuras e conversas ao Sol quando a lagartixa sentia frio.
Uma viagem curta para Ticha mas com a duração de uma vida para a borboleta.

4 comments:

Eva Gonçalves said...

Pode parecer estranho, mas gosto muito de lagartichas... coisas de quem viveu no campo... e o nome é giríssimo. Ora, a amizade é assim mesmo, surge com e quando menos se espera! E o que importa da vida, é aproveitar ao máximo, independentemente da duração da mesmo, right? :) Beijinho

Diário de um Anjo said...

Também gosto muito de Tixas:-)

Sofá Amarelo said...

Nas histórias simples estão os maiores ensinamentos da vida. Mas se precisares de uma lagartixa verdadeira diz, hehehe, de vez em quando fotografo estes simpáticos animaizinhos, inclusive fotografei várias vezes em dias e meses diferentes uma lagartixa na Igreja da Atalaia ali para os lados de Tomar - sempre que lá passava eu ia espreitar e lá estava ela (ou então a descendência ou a vizinhança dela), de cabecita no ar sem medo dos meus olhares e disparos fotográficos: era a lagartixa fotogénica!

Beijinhossssss!!! :o)))

Phil said...

As fotos maravilhosas que estão no meu blog são da Zona do Pinhal, mais propriamente, Pedrogão Grande e Pedrogão Pequeno :) Kisses