Mar 29, 2011

Silêncio nocturno

Estou só na noite

e o silêncio não vem.

Portas batem e

palavras desconexas,

imcompletas, rasgam o som.

Fecho os olhos,

procuro nada ouvir,

o nada sentir,

mas ruídos inundam a escuridão.

Dizem que o cérebro se habitua,

deixando que o silêncio seja o som da rua.

Não, jamais, o nada deixará de ser nada

e a voz passará a ser o silêncio.

2 comments:

Phil said...

às vezes o silêncio faz falta, mas nem sempre :(

Sofá Amarelo said...

Por vezes o silêncio sonoro é aquele que custa mais a ouvir, e muitas vezes ele vem acompanhado de portas que batem e palavras desconexas que inundam a escuridão...