Dec 3, 2009

O natal do "Pantufas"

Foto: net

-Os humanos são esquisitos! No pico do Inverno, quando quase não há comida, penduram coisas brilhantes nas portas e andam com grandes embrulhos de um lado para o outro. Até que, numa noite se fecham todos na casa uns dos outros. Porque será? - Perguntava a aranha Patitas Pretas ao rato Pantufas.
Pantufas, era o nome que lhe deram, por conseguir andar sempre sem fazer nenhum barulho. “É fofo mas levezinho, como uma pantufa”, dizia o seu pai. Todos lhe perguntavam o que era uma pantufa. Ele dizia: "São umas coisas que a minha humana calça e que diz que são fofas mas leves. Ela caminha pela casa com aquilo calçado e não faz barulho nenhum".
-A casa da humana velhota que mora onde tenho a minha toca, nessa noite enche-se de pessoas que não vejo o resto do ano – respondeu Pantufas.
Quando isso aconteceu pela primeira vez, pensei que todos os outros tinham ficado sem provisões e vinham pedir mantimentos. Estavam todos tão felizes e comiam tanto que deduzi que tivessem esfomeados e se saciavam alegremente.
No dia seguinte, partiram todos, deixando a minha humana sozinha até ao ano seguinte. Foi nessa altura que percebi que não era fome.
Eu tenho a família toda na minha toca e comemos as refeições, juntos, o ano inteiro incluindo a minha avó, que mal vê. Jamais pensaria em deixa-la sozinha durante o ano inteiro.
Estranho este, o ritual de uma noite de Inverno!

1 comment:

Sofá Amarelo said...

Este texto sim, deveria fazer parte do tal plano nacional de leitura... cada vez me faz mais confusão estes natais em que as pessoas se atropelam, apostam tudo para umas horas em família... e que muitas vezes nem é de família mas simplesmente para mostrar ao primo ou ao tio que têm um carro novo ou que têm um telemóvel topo de gama ou coisas no género...