Nov 9, 2008

Auto-estima


Olho para os outros e consigo saber quem gosto e evito quem me faz mal,
e no espelho apenas vejo o que não quero.
O que me apraz em mim?
Nada? Alguma coisa? Mudava tudo?
Os outros têm aquilo o que eu queria e eu dispensava tudo o que a mim me foi dado.
Passo pelas ruas como se invisivel fosse.
O erro está em mim ou nos outros?

Estas são as questões de quem um dia o amor próprio partiu. Os motivos do seu desaparecimento podem ser vários. A sociedade não está preparada para ajudar estas pessoas mas apenas para piorar o seu estado. A visão de bela adormecida que os meios de comunicação divulgam não facilita.
Quando a baixa auto-estima assenta em complexos de inferioridade que diminuiem a confiança nas capacidades individuais, a coisa é mais complicada.
Pela vida existem pessoas a quem este estado jamais atingiu e reconhecem o medo das outras usando-o a seu favor. É mais ou menos como na selva. O medo sente-se e quem o tem é o elo mais fraco.

Solução: fingir que não se têm medo. O ser humano não tem os instintos tão aprofundados como os animais e quem usa esta lacuna dos outros a seu proveito dificilmente consegue distinguir a diferença.

1 comment:

ηatalie αfonseca said...

O erro não está em ninguém em especial! O erro existe! Porque os sere shumanos erram!

E ninguém deve fingir que sente medo!

O mais importante em nós: TER AUTO-EsTIMA!!! =P